Os Rios de Arouca – O que é necessário

.
.
.
.
.
  • Amar os rios e os seus ecossistemas o que não é fácil pois não se impõe por decreto;
  • Dar valor aquilo que de mais simples, frágil e belo existe na Natureza;
  • Vontade política;
  • Alguns recursos financeiros; em relação a estes que não se diga que são escassos ou não existem. É tão simplesmente uma questão de opção e de uma boa gestão de recursos finnceiros. Já agora quanto custou a avenida de muito mau gosto, tipo “Estado-Novo” e que destruiu um dos espaços verdes mais atraentes da vila de Arouca, em frente ao Palácio da Justiça?
  • Integrar estas iniciativas no GeoparqueArouca para que este não se transforme cada vez mais numa coisa banal, de eventos dispersos, desencontrados, sem uma linha de rumo e, muitos deles, de puro folclore. Salva-o o honroso exemplo das trilobites de Canelas, sem as quais não haveria Geoparque algum.
Advertisements

Tags: , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: